Ebenézer!

Há exatamente um ano eu passava uma noite dolorosa. Estava sozinha num quarto do HC, prestes a entrar num processo de indução de parto que me gerava muitas incertezas e chorava muito. E Deus, na sua infinita grandeza, usou meu pai Dirceu Ramos Teixeira para trazer uma palavra de conforto e ânimo.
Nesse dia obtive muitos aprendizados dos quais gostaria de compartilhar dois:
1. Entendi o Salmo 27:10: “Se seu pai e sua mãe me desampararem, o Senhor me amparará”. Em momento algum minha família me desamparou e para mim a palavra se realizou da seguinte forma: Se seu pai e sua mãe, ou seu marido, não puderem estar com você, Eu estarei! Aleluia! O senhor estava comigo e esteve e pude sentir a Sheikiná do Senhor naquele quarto e naquele Hospital!
2. Passei por um momento crítico em que meu bebê entrava num estágio de sofrimento fetal e não haveria como fazer a indução. O médico optou pela cesárea e eis o outro grande aprendizado! Sentir que meu filho estava sofrendo foi devastador! Imagine nosso pai ao ver seu Filho Jesus Cristo sendo machucado pelo meu e pelo seu pecado? Saber que o Bernardo não poderia escolher não sofrer e que eu não poderia sofrer em seu lugar me fez desesperar, imagine Deus ao ter que desamparar seu filho para nos dar a salvação? Quando soube que o sofrimento cessara e o meu filho havia nascido bem, foi como o bálsamo de Gileade invadindo a minha alma! Deus não teve esse sentimento para com seu filho, ele morreu e morreu morte humilhante. Eu não senti isso, mas não saberia se aguentaria a morte de um filho, ou pior, a morte voluntária de um filho.
Quando Peguei Bernardo em meus braços, 12 horas após o nascimento, pensei: Deus deve ter se sentido assim quando Jesus entrou triunfante no céu, após vencer o pecado e a morte. Então o Espírito Santo me lembrou: Deus não se sentiu assim quando Jesus venceu a morte, pois ele já era e sempre será vencedor e Deus sabia que Jesus ia descer ao inferno e triunfaria sobre a morte e pecado! Afinal ele é vencedor. O sentimento de: “Ufa tudo ocorreu bem!” é humano, e não haveria de ser diferente! Nós não sabemos do futuro e esse é o motivo pelo qual Deus nos dá a fé, sim até a fé que temos é vinda de Deus.
um ano.jpg
7 de outubro de 2013
O Consolador me lembrou de que Deus se sente assim, como quando peguei o Bernardo no colo, toda a vez que uma vida aceita a Cristo e se rende aos seus pés, pois nesse momento ele diz: Seu sofrimento cessou, descanse em meus braços de amor. Deus nos ama e em sua infinita misericórdia me proporcionou essa experiência para que Sua Glória se fizesse manifesta na terra, através da minha vida,da vida do meu filho e do meu esposo.
Nunca esquecerei uma palavra que meu Tio Ismael Ramos Teixeira me disse quando fiquei diabética: às vezes passamos por provações para que Deus seja louvado. E hoje entendo que ele foi exaltado através de uma gravidez de risco, mas através da qual muitas pessoas foram tocadas por Deus e tiveram acesso à sua Palavra. Testemunharei hoje e sempre que as misericórdias do Senhor se renovam a cada manhã, e como Deus foi misericordioso comigo e como concedeu o desejo do meu coração. Deus seja louvado que a sua Sheikiná se manifeste na terra! Aleluia!


Agradeço primeiramente a Deus autor e consumador da nossa fé, a toda a minha família que esteve comigo em todos os momentos e à Igreja, minha família em Cristo!


Comentários

Postagens mais visitadas